Demonstrando falta de competência para administrar o país em questões básicas como geração de emprego, reduzido crescimento econômico, retrocesso na educação e desprezo ao meio ambiente, o Presidente Jair Bolsonaro insiste em nos apresentar em escalada crescente cenas repugnantes.

A jornalista Patrícia Campos Mello, da Folha de São Paulo, produziu matéria competente sobre o uso indevido do Whatsapp na campanha eleitoral que conduziu o Presidente ao Palácio do Planalto. Transtornado, ataca a profissional em sua honra, dignidade e pessoalidade de forma machista, cruel, vulgar e inaceitável.

Ao atingir Patrícia atinge, mais uma vez, a todas nós, mulheres brasileiras que convivemos com duplas jornadas de trabalho, com o crescimento desenfreado do feminicídio, a redução de nossos direitos previdenciários, a precarização trabalhista e, agora, ao “direito presidencial” de nos difamar sexualmente.

Mulheres e homens de bem não podem se calar. Precisamos erguer nossa voz e dizer que tudo está passando dos limites. Se não fizermos isto, seu alvo (e de seus pupilos) será atingido: atentar e derrubar a democracia brasileira!

Helena Ribeiro da Silva

Presidenta do SEAAC de Americana e Região