O significado do 8 de março

mulheres donas

Dia 8 de março comemoramos o Dia Internacional da Mulher. Uma data para reflexão, avaliação e ação; manifestação, reivindicação e celebração. Um dia para que a sociedade se conscientize da luta que as mulheres vem empreendendo com mais força nos últimos cem anos, organizando-se no movimento feminista contra o machismo, à opressão e à exploração.

A própria origem do Dia Internacional da Mulher marca essa realidade. No dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, em Nova York/USA, entraram em greve. Ocuparam a fábrica para reivindicar melhores condições de trabalho, tais como redução da jornada de trabalho de 16 para dez horas, salários iguais aos dos homens (recebiam um terço do salário masculino para executar a mesma tarefa) e tratamento digno no ambiente de trabalho. Foram trancadas dentro da fábrica que foi incendiada. Morreram 129 tecelãs, por causa de uma ação desumana conduzida por patrões e policiais.

Apesar disso, as mulheres não se deixaram intimidar e ao longo do século 20 e início do 21 conquistaram avanços significativos para a luta feminista, como a conquista do voto, do mercado de trabalho, ampliação da licença maternidade, proibição da discriminação sexual no trabalho, a lei Maria da Penha para enfrentar a violência doméstica, a reforma no Código Civil, entre outros.

Assim, comemorar o 8 de março também é reverenciar tantas mulheres que ficaram para trás, mas contribuíram com seu envolvimento, sua força, com seus gritos e lágrimas para que as mulheres de hoje pudessem desfrutar de uma relativa igualdade, quando antes não havia nenhuma.

A sociedade com direitos iguais para mulheres e homens, livre do preconceito e discriminação ainda está distante de se concretizar, mas o caminho foi pavimentado, por estas guerreiras e o processo de manutenção e ampliação de direitos é irreversível; trata-se agora de uma questão de tempo para desfazer paradigmas enraizados na cultura social.

Topo

© Copyright 2017 - SEAAC Americana