Home
SEAAC Blog
SEAAC Twitter
Olho no Olho
Base/Atendimento
Presidenta
Diretoria
Categorias
Acordos por Empresa
Acordos PPR
Jurídico
Homologações
Currículos
Parcerias
Info da Hora
Seaac Acontece
Associe-se Já!
Cadastro Empresa
Cadastro Associado
Convenções Coletivas

 

EQUILÍBRIO PROTEÇÃO FLORESTAL LTDA

 

ATENÇÃO: Esse documento somente poderá ser usado em caráter de consulta individual, não podendo portanto ser copiado e/ou impresso para divulgação ou comercialização. Fica proibida ainda, a alteração parcial ou total do mesmo. O uso indevido deste documento ocasionará punição prevista em lei.

 

 

 

ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2020/2021

 

 

Que fazem de um lado EQUILÍBRIO PROTEÇÃO FLORESTAL LTDA., inscrita no CNPJ sob o nº 01.013.017/0001-46, com sede a Rua Professor Luiz Curiacos nº 109, Condomínio Trio By Lindenberg, 4º Andar, Sala 411, Bairro Cidade Jardim, Piracicaba/SP., neste ato representado na forma legal pelo seu Sócio - Proprietário, Sr. ALBERTO JORGE LARANJEIRO, portador do CPF nº 056.795.828-05, doravante denominada “EMPRESA”, e de outro lado

 

O SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AGENTES AUTÔNOMOS DO COMÉRCIO E EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIAS, INFORMAÇÕES E PESQUISAS E DE EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DE AMERICANA E REGIÃO, inscrito no CNPJ sob o nº 62.474.853/0001-12, com sede a Rua Bolívia, nº 186, Vila Cechino, Americana/SP., neste ato representado por sua Presidenta Sra. HELENA RIBEIRO DA SILVA, portadora do CPF nº 017.360.768-33, doravante denominado “SEAAC”.

 

Celebram, entre si, ACORDO COLETIVO DE TRABALHO, a ser aplicado aos empregados da empresa, e consubstanciado nas cláusulas e condições que se seguem:

 

VIGÊNCIA, DATA-BASE E ABRANGÊNCIA

 

CLÁUSULA PRIMEIRA - VIGÊNCIA E DATA BASE

O presente instrumento vigerá pelo período de 01 (um) ano, de 1º de agosto de 2020 a 31 de julho de 2021, e fica mantido como data-base o dia 1º de agosto de cada ano.

 

CLÁUSULA SEGUNDA - BENEFICIÁRIOS

São beneficiários do presente instrumento todos os empregados da empresa EQUILÍBRIO PROTEÇÃO FLORESTAL LTDA.

 

CLÁUSULA TERCEIRA - CORREÇÃO SALARIAL

Em 1º de agosto de 2020, os salários terão reajuste, a título de correção salarial, no percentual de 2,69% (dois inteiros e sessenta e nove centésimos por cento).

 

CLÁUSULA QUARTA - PISO SALARIAL

Fica estabelecido como piso salarial a partir de 1º de agosto de 2020, a importância mensal não inferior a R$ 1.489,80 (um mil, quatrocentos e oitenta e nove reais e oitenta centavos).

 

CLÁUSULA QUINTA - COMPROVANTES DE PAGAMENTOS E CONTRATOS

A empresa deverá fornecer aos seus empregados comprovantes dos pagamentos que lhes façam, contendo sua identificação, do empregado, das parcelas pagas e dos descontos efetuados, bem como a parcela relativa ao FGTS, além de cópia do contrato de trabalho, mesmo de experiência, quando houver.

 

CLÁUSULA SEXTA - PAGAMENTOS ATRAVÉS DE BANCOS

Sempre que a empresa fizer os pagamentos dos salários através de bancos, serão assegurados aos empregados intervalos remunerados durante sua jornada de trabalho para permitir o recebimento.

Parágrafo primeiro: O empregado terá, igualmente, tempo livre remunerado suficiente para o recebimento do PIS, benefícios previdenciários e levantamento de FGTS;

Parágrafo segundo: Os intervalos mencionados no “caput” não poderão coincidir com aqueles destinados a repouso e alimentação;

Parágrafo terceiro: Os salários dos empregados deverão pagos obrigatoriamente até o 5º (quinto) dia útil de cada mês.

 

CLÁUSULA SÉTIMA - PAGAMENTO DO 13º SALÁRIO

A primeira parcela do 13º salário deverá ser paga até, no máximo, 30 de novembro, salvo se o empregado iniciar férias anuais antes desta data, hipótese em que o pagamento deverá ser feito juntamente com o relativo às férias, sujeito à solicitação do empregado.

 

CLÁUSULA OITAVA - HORAS EXTRAS

A empresa pagará o percentual de 50% (cinquenta por cento) de adicional para as horas extras, prestadas na jornada normal de trabalho, e o percentual de 100% (cem por cento) para aquelas prestadas aos domingos, feriados e dias já compensados.

Parágrafo único: Deverá ser observado pela empresa o limite máximo de que trata o artigo 59 da CLT.

 

CLÁUSULA NONA - SALÁRIO COMPOSTO

Ao empregado que recebe salário composto (fixo + parcela variável) o cálculo da parte variável para efeito do pagamento de férias, deverá ser feito tomando-se a média aritmética das parcelas variáveis recebidas no período aquisitivo.

Parágrafo primeiro: O cálculo da parte variável para efeito do pagamento de 13º salário, deverá ser feito tomando-se a média aritmética das parcelas variáveis recebidas no ano vigente;

Parágrafo segundo: O cálculo da parte variável para efeito do pagamento de verbas rescisórias, deverá ser feito tomando-se a média aritmética das parcelas variáveis recebidas nos últimos 12 (doze) meses;

Parágrafo terceiro: O cálculo da média das horas extras e do adicional noturno, deverá ser feito pelo número de horas e não pelos valores.

 

CLÁUSULA DÉCIMA - COMPLEMENTAÇÃO DO AUXÍLIO PREVIDENCIÁRIO

Ao empregado que esteja recebendo auxílio-doença ou auxílio-doença-acidentário da Previdência Social, será paga uma importância equivalente entre o seu salário e o valor daquele auxílio, somente entre o 16º (décimo-sexto) e o 180º (centésimo-octogésimo) dia de afastamento.

 

CLÁUSULA DÉCIMA PRIMEIRA - GRATIFICAÇÃO POR APOSENTADORIA

O empregado que tenha no mínimo, 05 (cinco) anos de tempo de serviço na empresa, receberá por ocasião de sua aposentadoria, uma gratificação de valor correspondente a 100% (cem por cento) de seu último salário.

 

CLÁUSULA DÉCIMA SEGUNDA - VALE TRANSPORTE

Em cumprimento às disposições da Lei 7.418 de 16/12/1985, com a redação alterada pela Lei 7.619 de 30/09/1987, regulamentada pelo Decreto 95.247 de 16/11/1987, fica estabelecido conforme determina a lei, que a empresa concederá vale-transporte através de passes fornecidos pelas empresas concessionárias para seu deslocamento até o local de trabalho, neste caso a empresa descontará o limite máximo de 3,0% (três por cento) de seus proventos.

Parágrafo primeiro: Conforme disposição legal descrita no “caput”, só poderão solicitar o benefício aqui regulamentado os empregados que utilizarem regularmente o transporte público para seu deslocamento até o local de trabalho;

Parágrafo segundo: Aos empregados que utilizam regularmente o veículo da empresa para se locomover ao local de trabalho, de comum acordo com a empresa, não farão jus ao benefício previsto no “caput”.

 

CLÁUSULA DÉCIMA TERCEIRA - REFLEXO DAS HORAS EXTRAS E ADICIONAL NOTURNO

A média das horas extras habituais e do adicional noturno refletirá no pagamento das férias, 13º salário e descanso semanal remunerado.

Parágrafo único: As horas extras compensadas na jornada flexível de trabalho, estabelecida no presente instrumento, não terão reflexo nos pagamentos das férias, 13º salário e descanso semanal remunerado.

 

CLÁUSULA DÉCIMA QUARTA - INDENIZAÇÃO PECUNIÁRIA

Ao empregado com mais de 45 (quarenta e cinco) anos, e que conte mais de 05 (cinco) anos de tempo de serviço na empresa, se dispensado sem justa causa, será paga uma indenização correspondente a 100% (cem por cento) de seu salário, a ser satisfeita juntamente com as demais verbas rescisórias.

 

CLÁUSULA DÉCIMA QUINTA - ADICIONAL NOTURNO

O trabalho noturno receberá adicional de 50% (cinquenta por cento) em relação ao trabalho diurno, sem prejuízo da redução horária estabelecida em lei.

Parágrafo único: Entende-se por horário noturno, o compreendido entre 22 horas às 05 horas.

 

CLÁUSULA DÉCIMA SEXTA - MULTA DO FGTS

Fica garantida a multa prevista no parágrafo 1º do art. 18 da Lei 8.036/90, sobre a totalidade dos depósitos do FGTS, aos empregados imotivadamente dispensados do serviço, após sua aposentadoria perante a Previdência Social, desde que permaneçam trabalhando para a empresa.

 

CLÁUSULA DÉCIMA SÉTIMA - ASSISTÊNCIA MÉDICA

A empresa se obriga na admissão do empregado a firmar convênio de Assistência Médica subsidiando 95% (noventa e cinco por cento) do valor acordado.

Parágrafo primeiro: O valor subsidiado pelo empregado não poderá ser superior a 5,0% (cinco por cento), mesmo quando o reajuste ocorrer antes da data-base;

Parágrafo segundo: Quando houver reajuste na Assistência Médica, o percentual será repassado ao empregado;

Parágrafo terceiro: A empresa subsidiará também, o percentual de 20% (vinte por cento) do valor da assistência médica dos dependentes;

Parágrafo quarto: Serão considerados dependentes: cônjuges e filhos.

 

CLÁUSULA DÉCIMA OITAVA - ASSISTÊNCIA ODONTOLÓGICA

A empresa disponibilizará na admissão do empregado duas formas de convênios do plano de Assistência Odontológica, que seguirão a seguinte sistemática:

Parágrafo primeiro: Um plano de Assistência Odontológica com cobertura “básica” assim regulamentado pela sua operadora, subsidiado em 50% (cinquenta por cento) do valor acordado com a operadora, para os seus empregados;

Parágrafo segundo: Um plano de Assistência Odontológica com cobertura “máster” assim regulamentado pela sua operadora, subsidiado em 50% (cinquenta por cento) do valor acordado com a operadora pelo plano “básico” para os seus empregados;

Parágrafo terceiro: O valor subsidiado pelo empregado não poderá ser superior a 50% (cinquenta por cento) do valor do plano “básico” em qualquer das modalidades ofertadas, mesmo quando o reajuste ocorrer antes da data-base;

Parágrafo quarto: Quando houver reajuste na Assistência Odontológica, o percentual será repassado ao empregado;

Parágrafo quinto: Caso haja interesse do empregado em incluir seus dependentes no plano de assistência odontológica, arcará com valor integral de 100% (cem por cento);

Parágrafo sexto: Serão considerados dependentes dos empregados: cônjuges e filhos.

 

CLÁUSULA DÉCIMA NONA - SEGURO DE VIDA

A empresa garantirá aos seus empregados seguro de vida e de acidentes pessoais por morte de qualquer causa, invalidez permanente, total ou parcial por acidente, uma indenização no valor equivalente a 25 (vinte e cinco) vezes o valor nominal do salário vigente.

Parágrafo primeiro: O valor subsidiado pelo empregado será de 5,0% (cinco por cento) sobre o valor do seguro;

Parágrafo segundo: Este benefício começa a vigorar a partir da admissão do empregado.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA - AUXÍLIO REFEIÇÃO/ALIMENTAÇÃO

A empresa concederá aos seus empregados auxílio refeição/alimentação no valor total mensal de R$ 579,20 (quinhentos e setenta e nove reais e vinte centavos) da seguinte forma:

Parágrafo primeiro: Aos empregados cujo local de trabalho não lhes sejam fornecidas refeições, o auxílio refeição/alimentação, receberão a importância de R$ 402,62 (quatrocentos e dois reais e sessenta e dois centavos) o que corresponderá à importância de R$ 18,30 (dezoito reais e trinta centavos) por dia, equivalente a 22 (vinte e dois) dias por mês, para sua alimentação diária e  receberá também a título de complemento do auxílio-refeição/alimentação, a importância de R$ 176,58 (cento e setenta e seis reais e cinquenta e oito centavos) denominado cesta básica;

Parágrafo segundo: Aos empregados cujo local de trabalho seja-lhes fornecido o café da manhã e almoço, farão jus a importância de R$ 176,58 (cento e setenta e seis reais e cinquenta e oito centavos) equivalente ao complemento do auxílio alimentação denominada (cesta básica;

Parágrafo terceiro: Quanto as refeições oferecidas no local de trabalho pela empresa, deverá ser observado o disposto na Lei 6.321/76 e seus respectivos Decretos e as Portarias 66/2006 e 193/2006 do MTE, e das Normas Regulamentadoras - NR 24.3 e NR 24.4 do MTE, no que tange à cozinha e refeitório, independentemente do número de empregados que a empresa possua;

Parágrafo quarto: O empregado subsidiará com o percentual de 5,0% (cinco por cento) sobre o valor total do auxílio refeição/alimentação;

Parágrafo quinto: Aos empregados que gozarem férias, durante este período lhes será fornecido, além do valor de R$ 176,58 (cento e setenta e seis reais e cinquenta e oito centavos), correspondente a “cesta básica”, um adicional exclusivo para este fim, no valor de R$ 58,90 (cinquenta e oito reais e noventa centavos), creditado junto com o valor anterior no auxílio - alimentação/refeição.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA PRIMEIRA - REEMBOLSO CRECHE

A empresa reembolsará a todas as suas empregadas com filhos em idade escolar até 06 (seis) anos, o valor limitado a importância de R$ 323,13 (trezentos e vinte e três reais e treze centavos) condicionado o reembolso à comprovação das despesas com o internamento em creches ou instituições análogas de sua livre escolha.

Parágrafo único: O reembolso previsto no “caput”, será concedido aos empregados que detiverem a guarda legal integral de seus filhos e atenderem a condição especificada no “caput”.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEGUNDA - AVISO DE DISPENSA

A dispensa de empregado deverá ser participada por escrito, qualquer que seja o motivo, sob pena de gerar presunção absoluta de dispensa imotivada.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA TERCEIRA - CARTA DE REFERÊNCIA

A empresa nas demissões de empregado sem justa causa, se obriga a entregar ao demitido carta de referência.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUARTA - CARTEIRA DE TRABALHO

A CTPS recebida para anotação, deverá ser devolvida ao empregado no prazo máximo de 10 (dez) dias, assim como certidões de nascimento, de casamento, atestados médicos e outros documentos, serão recebidos pela empresa, mediante o fornecimento de recibo ao empregado.

Parágrafo único: A empresa fica obrigada a promover à anotação na carteira de trabalho do empregado, cargo ou função efetivamente ocupada, proibida a anotação de funções de auxiliar geral ou serviços gerais.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA QUINTA - AVISO PRÉVIO ESPECIAL

Na forma estabelecida na Lei 12.506/2011, os empregados terão direito a 30 (trinta) dias de aviso prévio até 01 (um) ano de serviço na empresa, sendo acrescidos 03 (três) dias por ano de serviço, até o máximo de 60 (sessenta) dias, perfazendo um total de até 90 (noventa) dias.

Parágrafo primeiro: O acréscimo de 03 (três) dias por ano de serviço prestados na empresa previsto no “caput” da presente cláusula, não se aplica a pedido de demissão, que será sempre de 30 (trinta) dias, independentemente do tempo de serviço na empresa, mantendo os termos estabelecidos no art. 487 da CLT;

Parágrafo segundo: Caso a empresa não conceda em sua totalidade aviso prévio indenizado quando da demissão imotivada do empregado, fica obrigada a aplicar o disposto no artigo 488 da CLT, no máximo por 30 (trinta) dias, independentemente do tempo de serviço na empresa, isto é, os dias excedentes de aviso prévio proporcional além de 30 (trinta) dias, serão sempre indenizados.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA SEXTA - EMPREGADO SEM REGISTRO

Nos termos da lei, todo e qualquer empregado deverá ser registrado a partir do primeiro dia no emprego, sob pena da empresa pagar ao empregado uma multa no valor equivalente a 1/30 (um, trinta avos) de seu próprio salário por dia sem registro, limitada a um salário mensal.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA SÉTIMA - TRANSMISSÃO DE INFORMAÇÕES RESCISÓRIAS

A empresa deverá encaminhar ao Sindicato Profissional por meio físico ou eletrônico, os seguintes documentos: (I) Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho (TRCT); (II) comprovante de quitação das verbas rescisórias; (III) extrato do FGTS para fins rescisórios; (IV) Guia de Recolhimento Rescisório do FGTS - GRRF; (V) demonstrativo do Recolhimento do FGTS rescisório; (VI) chave de conectividade social para saque do FGTS; (VII) Requerimento do Seguro-Desemprego - SD e; (VIII) Exame Médico Demissional, no prazo de 10 (dez) dias a contar do último dia de trabalho do empregado, para fins de comprovação do cumprimento das obrigações trabalhistas e convencionadas neste instrumento, bem como para fins estatísticos do Sindicato Profissional.

Parágrafo primeiro: A empresa deverá fornecer a entidade sindical os dados de contato do empregado desligado, ficando facultado a este, o comparecimento presencial ao Sindicato Profissional para conferência das verbas rescisórias supramencionadas;

Parágrafo segundo: Esta cláusula entrará em vigor a partir da assinatura do presente instrumento, estando o Sindicato Profissional, apto a receber a documentação rescisória através de seu e-mail: homologa@seaacamericana.org.br;

Parágrafo terceiro: Pelo não cumprimento das obrigações desta cláusula, a empresa pagará a multa normativa previsto neste instrumento, correspondente a 5,0% (cinco por cento) do piso salarial vigente, em favor da parte prejudicada e por infração.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA OITAVA - DISPENSA DO AVISO PRÉVIO

O empregado que, em cumprimento de aviso prévio dado pela empresa, provar a obtenção de novo emprego, terá direito de se desligar de imediato, percebendo os dias já trabalhados no curso do aviso prévio, sem prejuízo das parcelas rescisórias.

 

CLÁUSULA VIGÉSIMA NOVA - ESTABILIDADE DA GESTANTE

A empregada gestante fica assegurado emprego ou salário, desde o início da gestação até 06 (seis) meses após o parto.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA - ESTABILIDADE AO AFASTADO PELA PREVIDÊNCIA SOCIAL

Ao empregado afastado pela Previdência Social, fica assegurado emprego ou salário, pelo período em que ficou sob custódia da Previdência, limitado ao máximo de 60 (sessenta) dias.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA PRIMEIRA - ESTABILIDADE PRÉ - APOSENTADORIA

Fica garantido emprego ou salário aos empregados que estejam a menos de 02 (dois) anos da aposentadoria, sendo que adquirido o direito, cessa a estabilidade.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEGUNDA - APERFEIÇOAMENTO PROFISSIONAL

Para a realização de cursos que venham contribuir para o desenvolvimento profissional, e ao mesmo tempo, também sejam de interesse da empresa, os empregados poderão se ausentar do serviço por até 18 horas anuais, que serão consideradas, para todos os efeitos, como horas trabalhadas.

Parágrafo único: A utilização das horas previstas no “caput”, depende de prévia e expressa autorização da empresa e posterior comprovação da frequência do empregado.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA TERCEIRA - ESTABILIDADE APÓS RETORNO DE FÉRIAS

Fica assegurado a todos os empregados, emprego ou salário, por 30 (trinta) dias, após o retorno das férias.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUARTA - ESTABILIDADE PROVISÓRIA DO PAI

O empregado pai, desde que conte, no mínimo, 30 (trinta) meses de tempo de serviço na empresa, fica assegurado emprego ou salário, pelo período de 60 (sessenta) dias, contados da data de nascimento do filho, devidamente comprovada através do fornecimento da respectiva certidão de nascimento.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA QUINTA - JORNADA DO DIGITADOR

Os empregados que exercem, exclusivamente, a função de digitador, estão sujeitos às jornadas semanais de, no máximo de 30 horas.

Parágrafo único: Deverá ser concedido ao digitador o intervalo para descanso de que trata a NR 17, item 17.6.4, em suas letras “a”, “b”, e “c” em especial a “d” (10 minutos de descanso para cada 50 trabalhados).

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SEXTA - ESTABILIDADE SERVIÇO MILITAR

Fica assegurado emprego ou salário, ao empregado em idade de prestação do serviço militar, desde o alistamento até 30 (trinta) dias após o desligamento.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA SÉTIMA - EMPREGADO ESTUDANTE

Ao empregado estudante, sujeito ao regime de trabalho de tempo integral, será permitido à saída antecipada de 02 horas ao final do expediente em dias de provas, condicionada à prévia comunicação à empresa e posterior comprovação.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA OITAVA - AUSÊNCIAS LEGAIS

Os empregados poderão se ausentar do serviço, sem prejuízo de seus salários e sem necessidade de compensação, nos seguintes casos:

Parágrafo primeiro: Até 02 (dois) dias úteis consecutivos, em caso de falecimento de cônjuge, ascendentes, descendentes, irmãos ou pessoa que declaradamente vivia sob sua dependência econômica;

Parágrafo segundo: Até 03 (três) dias úteis consecutivos, em virtude de casamento;

Parágrafo terceiro: Até 05 (cinco) dias ao ano, para acompanhamento em internação de filhos;

Parágrafo quarto: Até 07 (sete) dias, a fim de levar filho menor ao médico, condicionada a falta à comprovação através de competente atestado médico, ou, sem limite de idade, se o filho tiver necessidades especiais;

Parágrafo quinto: Até 05 (cinco) dias no caso de licença paternidade, de que se trata o inciso XIX do artigo 7º da CF e parágrafo 1º do item “b” do artigo 10, do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias;

Parágrafo sexto: 03 horas por dia durante a jornada de trabalho, sendo 02 (dois) intervalos de 01 hora e 30 minutos cada, para amamentar o próprio filho, até que este complete 06 (seis) meses;

Parágrafo sétimo: Entende-se por ascendentes: pai, mãe, avós, bisavós, e por descendentes, filhos e netos, na conformidade da lei civil;

Parágrafo oitavo: Para efeito desta cláusula o sábado não será considerado dia útil.

 

CLÁUSULA TRIGÉSIMA NONA - JORNADA DE TRABALHO

A jornada semanal de trabalho na empresa será de 44 horas.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA - JORNADA FLEXÍVEL DE TRABALHO

A Empresa, os Empregados e o Sindicato Profissional, pelo presente instrumento, e conforme permissivo legal, estabelecem as jornadas flexíveis de trabalho, que permite acumular saldo de horas positivas e negativas.

Parágrafo primeiro: A jornada flexível de trabalho terá como limite o total de 40 horas positivas ou negativas, que se acumularão durante o período de 01 (um) ano, contado a partir da data base de homologação deste instrumento, findado o qual deverá ser zerado a partir do mês subsequente;

Parágrafo segundo: Ocorrendo rescisão contratual, as horas de saldo positivo existentes, serão remuneradas com os acréscimos das horas extras, conforme percentual estabelecido neste instrumento, sendo que os saldos negativos não serão descontados dos empregados, dando-se por zeradas;

Parágrafo terceiro: Fica estabelecido que qualquer das partes Empresa ou Empregados, tenham prazo de 02 (dois) dias para avisar quando da necessidade da utilização da jornada flexível de trabalho;

Parágrafo quarto: Os Empregados admitidos após a celebração deste instrumento, estão automaticamente enquadrados nesta modalidade;

Parágrafo quinto: O prazo de vigência da jornada flexível de trabalho se expira, quando da vigência deste instrumento.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA PRIMEIRA - ESCALA DE TRABALHO 5X2

Escala 5x2 (cinco por dois), (cinco dias trabalhados, com dois de descansos), que deverão coincidir com os dias úteis da semana (de segunda à sexta-feira), e 02 (dois) dias de folga que deverão coincidir com o sábado e domingo.

Parágrafo primeiro: A carga horária semanal será de 44 horas, que deverá ser cumprida de segunda à sexta-feira;

Parágrafo segundo: A empresa poderá fixar horários de entrada/início e de saída/término da jornada de trabalho, conforme a rotina do local de trabalho do empregado;

Parágrafo terceiro: O empregado poderá se valer da jornada flexível de trabalho, para negociar seus horários e/ou eventuais alterações que precise fazer.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEGUNDA - ESCALA DE TRABALHO  6X1

Escala 6x1 (seis por um), (seis dias trabalhados, com um dia de descanso), que deverão coincidir com os dias úteis, inclusive o sábado e 01 (um) dia de folga, que deverá coincidir com o domingo.

Parágrafo primeiro: A carga horária semanal será de 44 horas, e deverá ser cumprida de segunda-feira a sábado;

Parágrafo segundo: A empresa poderá fixar horários de entrada/início e de saída/ término da jornada de trabalho, conforme a rotina do local de trabalho do empregado;

Parágrafo terceiro: O empregado poderá se valer da jornada flexível de trabalho, para negociar seus horários e/ou eventuais alterações que precise fazer.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA TERCEIRA - ESCALA DE TRABALHO  4X2

Escala de 4x2 (quatro por dois), (quatro dias trabalhados, com dois dias de descanso). A carga horária de trabalho destes 04 (quatro) dias de trabalho será de 37,71hrs. (trinta e sete, vírgula setenta e uma horas) totais.

Parágrafo primeiro: A empresa deverá elaborar uma escala de trabalho/revezamento mensal, a qual deverá ser afixada no mural da sede da empresa, nos escritórios de apoio ou em outro local que os empregados utilizam como ponto de apoio;

Parágrafo segundo: A empresa poderá fixar horários de entrada/início e de saída/término da jornada de trabalho, conforme a rotina do local de trabalho do empregado;

Parágrafo terceiro: O empregado que assim precisar, só poderá trocar com um colega, seu dia de escala para o trabalho ou folga, com o expresso consentimento da empresa, na qual deverá fixar a alteração junto com a escala do mês onde esta estiver publicada;

Parágrafo quarto: O empregado poderá se valer da jornada flexível de trabalho e da escala de trabalho, para negociar seus horários e/ou eventuais alterações que precise fazer;

Parágrafo quinto: Os domingos, em que o empregado esteja escalado para trabalhar, serão considerados dias normais de trabalho, por característica do regime de trabalho em escala;

Parágrafo sexto: Os feriados, em que o empregado esteja escalado para trabalhar, serão considerados como horas positivas para sua jornada flexível de trabalho.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUARTA - COMPENSAÇÕES DE DIAS INTERCALADOS ENTRE DIAS PONTES E FERIADOS

A empresa poderá liberar o trabalho em dias úteis intercalados com feriados e fins de semana, total ou setorialmente, através de compensação anterior ou posterior, dos respectivos dias, de forma a conceder um período de descanso e lazer mais prolongado, sem prejuízo da viabilização operacional uniforme no âmbito da empresa, sempre condicionado a não manifestação expressa, em contrário da maioria dos empregados.

Parágrafo primeiro: Em complemento aos critérios de compensação disciplinados nesta cláusula, objetivando alongar a sequência de dias de descanso ou para viabilizar trocas de jornadas estabelecidas, exclusivamente aos empregados engajados nas áreas operacionais e que trabalham em regime de turnos. Fica também ajustada à possibilidade de cumprimento de jornada normal de trabalho em dias feriados em “troca” de liberação em outro dia que venha a propiciar a fruição do descanso prolongado de interesse daqueles empregados, de acordo com manifestação por escrito da maioria;

Parágrafo segundo: E sempre que possível, a forma de compensação contemplada no “caput” acima poderá ter aplicação uniforme, abrangendo as áreas operacionais e administrativas da empresa.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA QUINTA - EXAMES VESTIBULARES

Para prestação de exames vestibulares para ingresso em curso universitário, profissionalizantes de segundo grau ou superior, o empregado poderá faltar até 05 (cinco) dias úteis por ano, sem prejuízo de seu salário, das férias e descansos semanais remunerados, mediante prévia comunicação e posteriores comprovação, prorrogáveis na ocorrência de motivo de força maior.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SEXTA - ABONO DE FALTAS PARA ACOMPANHAMENTO MATERNO

De acordo com Estatuto da Criança e do Adolescente e em vista da medida que elegem como princípio fundamental da criança e proteção integral incumbido aos pais, igualmente, os deveres impostos nos artigos 1.635 e 1.643, do Código Civil, observando-se a entrega a empresa de atestado médico, o empregado poderá faltar ao serviço por tempo não superior a 15 (quinze) dias para acompanhamento e cuidados de filho menor de até 12 (doze) anos, quando no caso de internação hospitalar.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA SÉTIMA - INÍCIO DE FÉRIAS

As férias terão início sempre em dia útil e serão concedidas, respeitando-se os preceitos contidos nos artigos 129 e seguintes da CLT, com a redação dada pelo Decreto Lei 1.535 de 13 de abril de 1977 e da Lei 13.467 de 13/07/2017.

Parágrafo único: No caso de férias coletivas em final de ano, não poderão ser incluídos na contagem de férias os dias, 25 de dezembro e 1º de janeiro.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA OITAVA - LICENÇA MATERNIDADE PARA MÃE ADOTANTE

De acordo com a Lei 10.421 de 15/04/2002, que estende a mãe adotiva o direito da licença maternidade, fica estabelecido que, em caso de adoção ou guarda judicial, o período de gozo da licença-maternidade passa a ser de 120 (cento e vinte) dias, independentemente da idade da criança.

Parágrafo único: A licença maternidade só será concedida mediante apresentação do termo judicial de guarda à adotante ou guardiã.

 

CLÁUSULA QUADRAGÉSIMA NONA - FÉRIAS PROPORCIONAIS AOS DEMISSIONÁRIOS

Na forma do previsto na súmula 261 do TST, o empregado com menos de 01 (um) ano de tempo de serviço que pedir demissão fará jus às férias proporcionais, à razão de 1/12 (um, doze avos) por mês ou fração igual ou superior a 15 (quinze) dias.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA - UNIFORMES E ROUPAS PROFISSIONAIS

Quando forem necessários e exigidos pela empresa, os uniformes ou roupas profissionais serão fornecidas gratuitamente aos empregados.

Parágrafo único: Caso a empresa obrigue seus empregados a utilizar uniforme ou jalecos de propaganda, com publicidade de terceiros, fica obrigada a pagar adicional de 10% (dez por cento) do salário nominal.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA PRIMEIRA - FORNECIMENTO DE CAT

A empresa deverá, na forma prevista em lei, fornecer prontamente o Comunicado de Acidente de Trabalho, nas situações em que o mesmo for exigível.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEGUNDA - TRABALHADOR COM NECESSIDADES ESPECIAIS

A empresa compromete-se não fazer restrições na contratação de trabalhador com necessidades especiais para funções compatíveis, com suas respectivas deficiências, adotando, para tanto, no mínimo, os critérios e condições estabelecidos na Lei 7.853/89 e no Decreto 3.298/99.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA TERCEIRA - DECLARAÇÕES, ATESTADOS MÉDICOS E ODONTOLÓGICOS

As declarações, os atestados médicos e odontológicos passados pelos facultativos do Sindicato Profissional, ou através dos convênios médicos mantidos pela empresa, serão aceitos para justificativas de abono de faltas ou atraso ao serviço.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUARTA - FERRAMENTAS E EQUIPAMENTOS DE TRABALHO

A empresa fornecerá gratuitamente ferramentas, materiais, equipamentos eletrônicos e/ou automotores a seus empregados para a execução de suas atividades laborais, ficando estes sob a guarda e proteção dos mesmos, que deverão prover por sua guarda, conservação e o seu uso correto, sendo proibido o uso diverso dos fins a que se destinam.

Parágrafo primeiro: A empresa será responsável pelo desgaste natural das ferramentas, materiais e equipamentos eletrônicos e/ou automotores, promovendo a substituição destes sem ônus para os seus empregados;

Parágrafo segundo: A empresa manterá no código de normas internas, os detalhes do uso e suas condições e as demais regras gerais, inclusive de penalidades decorrentes do mau uso ou de uso diverso do fim a que se destina, que deve compor os documentos admissionais, sendo apresentado e assinado pelo empregado no ato de sua admissão no emprego.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA QUINTA - DIVULGAÇÃO DO ACORDO

A empresa afixará em quadro de avisos, em local bem visível aos empregados, cópia do presente instrumento, mantendo-o pelo período mínimo de 60 (sessenta) dias, a contar de seu registro.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SEXTA - COTA DE PARTICIPAÇÃO NEGOCIAL DO SINDICATO PROFISSIONAL

De acordo com Assembleia Geral Extraordinária da Categoria  no dia de 12 de maio de 2020, com fundamento no princípio da representação obrigatória de toda a categoria e da solidariedade retributiva, conforme art. 513, letra “e” da CLT, estipulam que os trabalhadores abrangidos pelo presente instrumento independentemente de filiação, deverão arcar compulsoriamente com uma cota de participação negocial, visando cobrir os gastos e garantir a manutenção dos direitos coletivos abrangidos pelo instrumento normativo, nos seguintes moldes:

Parágrafo primeiro: A empresa fica obrigada a descontar o percentual de 6,0% (seis e meio por cento) a título de cota de participação negocial, dividido em 02 parcelas iguais no percentual de 3,0% (três por cento) da folha de pagamento do mês de janeiro/2021, com recolhimento até o 5º (quinto) dia útil do mês de fevereiro/2021, a segunda parcela no percentual de 3,0% (três por cento) da folha de pagamento do mês de junho/2021, com recolhimento até o 5º (quinto) dia útil do mês de julho/2021;

Parágrafo segundo: A empresa remeterá ao Sindicato Profissional cópia da guia de recolhimento, juntamente com a relação de trabalhadores que deram motivação ao referido desconto, nos termos previsto neste instrumento;

Parágrafo terceiro: O não desconto ou não recolhimento da Cota de participação negocial, sujeitará a empresa ao pagamento de multa de 2,0% (dois por cento) do montante, além de juros de 1,0% (um por cento) ao mês até a data do efetivo pagamento, independentemente das demais sanções penais e administrativas previstas na legislação.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA SÉTIMA - MULTA

Pelo não cumprimento do presente instrumento a empresa pagará multa diária correspondente a 5,0% (cinco por cento) do piso salarial vigente, em favor da parte prejudicada, exceção feita às cláusulas que estabelecem penalidades especiais.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA OITAVA - TRABALHO DECENTE

A empresa envidará todos os seus esforços no sentido de promover o trabalho decente; a proteção contra o desemprego, o desenvolvimento sustentável, o respeito aos princípios e direitos fundamentais, como a liberdade sindical, a igualdade de oportunidades, a livre negociação coletiva e a não discriminação no trabalho; práticas de proteção social; o diálogo social; a capacitação profissional e a segurança e saúde dos empregados.

 

CLÁUSULA QUINQUAGÉSIMA NONA - SALÁRIO DO SUCESSOR

Admitido ou promovido empregado para função de outro dispensado sem justa causa, será garantido àquele salário igual ao do empregado na função, sem considerar vantagens pessoais.

 

CLÁUSULA SEXAGÉSIMA - COMISSÃO DE SUBSTITUIÇÃO TEMPORÁRIA

Em caso de substituição temporária, o empregado substituto receberá, a partir do 31º (trigésimo-primeiro) dia e enquanto perdurar a situação, uma comissão de substituição de valor igual à diferença entre o seu salário e o do substituído.

 

CLÁUSULA SEXAGÉSIMA PRIMEIRA - DIFERENÇAS RETROATIVAS À DATA - BASE

As diferenças salariais e de benefícios retroativas, resultantes da aplicação das disposições contidas no presente Acordo Coletivo de Trabalho, poderão ser pagas e/ou cumpridas até o 5º (quinto) dia útil do mês de fevereiro/2021.

 

CLÁUSULA SEXAGÉSIMA SEGUNDA - ADICIONAL POR TEMPO DE FUNÇÃO

A partir da assinatura do presente Acordo Coletivo de Trabalho, o benefício de que tratou esta cláusula ficará extinto, deixando de ser calculado e pago a todos os empregados abrangidos por esse instrumento.

Parágrafo único: Os empregados contratados até a assinatura do presente Acordo Coletivo de Trabalho e que faziam jus ao adicional por tempo de função, terão referido direito incorporado em seus respectivos salários.

 

Para que se produzam os efeitos legais e torne obrigatório para a Categoria Econômica e Profissional o presente ACORDO COLETIVO DE TRABALHO 2020/2021, será protocolada perante o MTE, através do sistema mediador para fins de registro e arquivo, em conformidade dos arts. 613, parágrafo único e 614 da CLT, e Instrução Normativa 06/2007.

 

E por estarem assim ajustados, a Presidenta do Sindicato Profissional e o Representante da empresa, firmam o presente Acordo Coletivo de Trabalho em duas vias de igual teor, para que produza seus efeitos legais.

Piracicaba, 05 de janeiro de 2021.

 

EQUILÍBRIO PROTEÇÃO FLORESTAL LTDA

ALBERTO JORGE LARANJEIRO

 SÓCIO - PROPRIETÁRIO

CPF Nº 056.795.828-05

 

SINDICATO DOS EMPREGADOS DE AGENTES AUTÔNOMOS DO COMÉRCIO E EM EMPRESAS DE ASSESSORAMENTO, PERÍCIAS, INFORMAÇÕES E PESQUISAS E DE EMPRESAS DE SERVIÇOS CONTÁBEIS DE AMERICANA E REGIÃO

HELENA RIBEIRO DA SILVA

 PRESIDENTA

CPF Nº 017.360.768-33

 
 

 


Sindicato dos Empregados de Agentes Autônomos do Comércio de Americana e Região

Trabalhador Conscientizado, Sindicato Transformado!